ENTENDA 

A OSTEOATROSE

Se você é veterinário ou tutor de um animal com osteoartrose, deve ser capaz de entender o mecanismo de ação desta doença progressiva. Descrevemos neste programa informações importantes para que você compreenda as etapas que ocorrem nas fases de desenvolvimento da doença, podendo assim identificar precocemente as alterações e manejar o paciente da melhor forma possível.

 

ANATOMIA E FISIOPATOLOGIA

Em quase todas as formas de artrite, que é definida como qualquer artropatia que envolve inflamação de uma ou mais articulações, ocorre uma anormalidade no osso ou na articulação que resulta em mudanças na forma da articulação. Existem três tipos diferentes de articulações: fibrosa, cartilaginosa e sinovial. As articulações fibrosas e cartilaginosas consistem em tecidos fibrosos ou de cartilagem hialina, que permitem pouco ou nenhum movimento. As articulações sinoviais são constituídas por fluido sinovial e denso tecido conectivo irregular, que cria uma cápsula articular sinovial, permitindo que as articulações se movam com maior amplitude. O fluido sinovial na cápsula articular fornece nutrientes e lubrificação para cartilagem articular.

anatomia.jpg

Em uma articulação normal, a cartilagem hialina é um tecido avascular, aneural e alifático encontrado no final dos ossos longos. Apresenta-se como uma estrutura elástica, suave e resistente ao desgaste, permitindo o movimento com atrito reduzido e fornecendo suporte ao dispersar as cargas de compressão e forças que são transmitidas para o osso.

A cartilagem hialina é composta por condrócitos (células ativas) e matriz extracelular (composta principalmente de colágeno, proteoglicanos e água). Os proteoglicanos compreendem a maior parte da matriz extracelular, que não é colágeno, e compõem cerca de 22% a 38% do peso seco da cartilagem articular de um adulto. Um monômero de proteoglicano é constituído por uma proteína central à qual um ou mais tipos de cadeias de glicosaminoglicanos estão ligados, os mais conhecidos são o sulfato de condroitina, sulfato de queratano e sulfato de dermatano. (Figura 1).

A interação de colágeno, proteoglicanos e água é essencial para a manutenção da cartilagem articular. O rompimento das fibrilas de colágeno, devido a lesão mecânica ou química diminui a rigidez intrínseca da cartilagem articular, a perda ou alteração do conteúdo de proteoglicanos reduz a rigidez articular. O conteúdo de água da cartilagem aumenta com a ruptura do colágeno, levando a ocorrência de edema no local. Essas mudanças geram comprometimento da capacidade de lubrificação e de sustentação da carga. Contudo, este processo tende a ser progressivo e correlaciona-se com o grau de degeneração presente.

O hialuronato também é encontrado na matriz extracelular e tem a capacidade de se agregar aos proteoglicanos, tornando- se um componente importante da cartilagem articular e do líquido sinovial. Sua produção é realizada por condrócitos e sinoviócitos, apresentando como principal função a lubrificação e formação de uma barreira molecular.

anatomia2.jpg

Figura 1 : Ilustração da unidade estrutural da matriz extracelular, possibilitando a identificação do colágeno, proteoglicano e água.

A cavidade articular é composta por uma cápsula articular que reveste toda a articulação, e que além de participar da produção de fluido sinovial e revestimento, facilita o movimento articular. Durante o curso da OA, a cápsula articular torna-se espessa e a vascularização aumenta. Alterações na sinóvia resultam em fagocitose de proteoglicanos e fragmentação de colágeno no liquido sinovial realizada por macrófagos. Portanto, este processo pode estimular os sinoviócitos a produzir citocinas e metaloproteinases, que causam maior degeneração da cartilagem. O distúrbio neste sistema faz com que aumente o volume do fluido sinovial, ocorrendo o desenvolvimento de vilosidades sinoviais que eventualmente envolverão 100% da superfície da cápsula e infiltração do estroma subsinovial pelos linfócitos, contribuindo para a progressão da doença quando associada a danos mecânicos à matriz da cartilagem (figura 2).

Estruturas principais da articulação

Figura 2: Vista esquemática das estruturas principais de uma articulação saudável (esquerda) e com OA (direita) degenerado. Na osteoartrose, a cartilagem articular é perdida e o osso (subcondral) é esclerótico.

Vista frontal de dois joelhos sendo o esquerdo saudável sem degeneração articular e o direito com OA, degenerado. Na osteoartrose, a cartilagem é perdida e o osso subcondral é exposto.

ASSISTA NO VÍDEO ABAIXO COMO É

O PROCESSO DA DEGRADACAO ARTICULAR