O QUE É OSTEOARTROSE?

A OA caracteriza-se como uma doença articular de evolução lenta, responsável pelo desenvolvimento gradual de dor articular, rigidez e limitações de movimento. Etiologicamente, pode ser classificada em primária e secundária, sendo a forma primária ou idiopática, gerada pelo desgaste cartilagíneo durante o processo natural de envelhecimento e a secundária causada por alterações articulares pré-existentes. Desta forma, todas as doenças articulares que resultam em incongruência ou instabilidade articular possuem o potencial de causar OA. Decorrentes destes processos degradantes, inicialmente ocorre a fibrilação da camada da cartilagem superficial e a ativação e multiplicação de condrócitos, seguido de elevação na produção de proteoglicanos e colágenos anormais, quantitativa e qualitativamente. Com o tempo, ocorre a exposição do osso subcondral e a diminuição do conteúdo de proteoglicanos, levando a alteração da estrutura da matriz do colágeno com perda também estrutural e de funcionalidade da cartilagem normal. Em gatos, a maioria dos casos de OA aparenta ter origem primária (ou idiopática), ou seja, não existe uma causa-base conhecida para o desenvolvimento da doença. Entretanto, no caso da OA secundária, acredita-se que traumas articulares e displasias estejam entre as principais causas que contribuem para o desenvolvimento desta alteração em ambas as espécies (Figura 1A). Outras causas secundárias incluem ruptura do ligamento cruzado cranial, luxações articulares, displasia do cotovelo (Figuras 1B e 1C) e do quadril, fraturas articulares, acromegalia, osteocondrodisplasia do Scottish Fold, entre outras artropatias.

ILUSTRAÇÃO ARTICULAÇÃO QUADRIL

Figura 1A: Ilustração da articulação do quadril de um paciente portador de displasia coxofemoral grave. Nota-se deformidades ósseas, achatamento da cabeça do fêmur, arrasamento do acetábulo, subluxação do fêmur, além de grande proliferação de osteófitos periarticulares e reação inflamatória.

Ilustração do Cotovelo displasico

Figura 1B: Ilustração do cotovelo displásico. Posicionamento médio-lateral do cotovelo evidenciando incongruência articular, fragmentação do processo coronóide medial da ulna, não união do processo ancôneo, proliferação óssea e processo degenerativo articular.

ilustração do cotovelo displasico

Figura 1C: Ilustração do cotovelo displásico. Posicionamento crânio-caudal do cotovelo...evidenciando incongruência articular, fragmentanção do processo coronóide medial da ulna, proliferação óssea e processo degenerativo articular.

 

ENTENDA 

A OSTEOATROSE

Se você é veterinário ou tutor de um animal com osteoartrose, deve ser capaz de entender o mecanismo de ação desta doença progressiva. Descrevemos neste programa informações importantes para que você compreenda as etapas que ocorrem nas fases de desenvolvimento da doença, podendo assim identificar precocemente as alterações e manejar o paciente da melhor forma possível.